PÁGINA INICIALSOBRE MIMBLOGROLLCONTATO

29 outubro 2014

Resenha: Cidade do Fogo Celestial (Cassandra Clare)


  Sinopse: ERCHOMAI, Sebastian disse. Estou chegando. Escuridão retorna ao mundo dos Caçadores de Sombras. Enquanto seu povo se estilhaça, Clary, Jace, Simon e seus amigos devem se unir para lutar com o pior Nephilim que eles já encararam: o próprio irmão de Clary. Ninguém no mundo pode detê-lo — deve a jornada deles para outro mundo ser a resposta? Vidas serão perdidas, amor será sacrificado, e o mundo mudará no sexto e último capítulo da saga Os Instrumentos Mortais.

  O sexto e último livro da série Os Instrumentos Mortais se passa em vários lugares ao mesmo tempo. Em Idris, Nova York e em um reino demoníaco.

  Eu estava com muita expectativa nesse livro e li rapidinho. Ele já começa com um prólogo de deixar corações arrasados. E é nesse prólogo que conhecemos Emma, Julian e os outros irmãos Blackthorn que no desenrolar da história conquistaram completamente o meu coração. Com certeza lerei The Dark Artificies!

  Enfim, neste livro a Clary se mostra mais madura e o que achei muito legal foi que o livro não focou só nela, os personagens secundários tiveram mais chance de aparecer.

  Sebastian está pior do que nunca e ataca os institutos de todos os lugares. Com seu cálice infernal e Lilith o protegendo, quem poderia vencê-lo? Travando batalhas em que fugas misteriosas podem acontecer, a Clave não sabe o que fazer (como sempre). Talvez o Fogo Celestial nas veias de Jace possa ser a única chance de derrotá-lo.


  O desenrolar da história acontece de maneira natural e impressionante. Com os ataques aos institutos, os Caçadores de Sombras foram todos evacuados para Idris. Mas Sebastian sempre acha outra maneira de perturbar, vocês sabem.

  Com a descoberta de quem é seu aliado, Jace, Clary, Simon, Isabelle e Alec embarcam numa aventura em um reino demoníaco onde ser humano nenhum jamais voltou vivo. Em busca da salvação do mundo e de pessoas muito especiais, nada teria lhes impedido. A cada passo que eles davam no reino demoníaco meu coração quase saía pela boca. Sebastian os esperava com toda a sua loucura e "amor" por Clary.

  Me apaixonei pelo Raphael e pelo Magnus. Luke e Jocelyn nunca conquistaram meu coração e neste livro não foi diferente. E MEU DEUS DO CÉU, SOU A ÚNICA PESSOA APAIXONADA PELO SEBASTIAN? Confesso que torci um pouco para o mundo acabar e ele e a Clary governarem a coisa toda. Desculpa, sociedade.

  Eu nunca chorei tanto com um livro, juro. Eu fiquei me sentindo desolada. Eu tive que parar de ler um pouquinho pois eu não tinha forças e havia tantas lágrimas nos meus olhos que simplesmente não havia como continuar lendo. Meu personagem preferido praticamente "morre" e isso foi demais para o meu coração pois eu não esperava. Sério, não sei como descrever o quanto eu fiquei mal. Ainda bem que a Cassandra deu um jeitinho no final (ou eu iria na casa dela e a mataria, hehe).


  A história tem um final épico. A última batalha foi espetacular. O jeito como os Caçadores de Sombras reagiram aos Crepusculares foi impressionante. O modo como o Fogo Celestial é usado me deixou de boca aberta (ou talvez eu esteja o tempo todo com a boca aberta). O irmão Zachariah foi um dos personagens que mais me surpreenderam (preciso ler As Peças Infernais logo). Sempre achei a Maia chata e tediosa porém, apesar de ela ter sua importância neste livro, continuo com a mesma opinião.

  Os integrantes do submundo cada vez se entendendo mais (ou talvez a maioria). Achei o ataque à ~hello spoiler~ Praetor Lupus ~tchau spoiler~ desnecessário mas entendi a necessidade que havia de mostrar que Sebastian não queria acabar só com os Caçadores de Sombras e sim destruição completa.

  A aparição da Tessa, de As Peças Infernais, poderia ter me deixado em êxtase, mas ainda não li a trilogia. 

  Fiquei com um tanto de raiva dos Caçadores de Sombras e em vários momentos os achei egoístas. Porém, mesmo assim, gostei muito do epílogo. As cenas finais são muito agradáveis e deixou um quê de curiosidade para ler The Dark Artificies e The Infernal Devices. É impressionante como a Cassandra conseguiu fazer com que tudo se encaixasse. Eu finalmente soube quais amores foram sacrificados e quais não foram. Confesso que lamentei bastante pelo amor sacrificado, mas talvez a maioria das pessoas não dê a mínima.


  Esse livro significou adeus aos meus personagens favoritos de todos os tempos. Clary Morgenstern, Jace Herondale, Simon Lewis e Izzy Lightwood farão muita falta e escrevo isso com lágrimas nos olhos. Obrigada por me mostrarem que, muitas vezes, amar não é destruir. O amor pode sim existir em meio ao caos.

  "Somos todos partes do que lembramos. Guardamos em nós as lembranças e os medos daqueles que nos amam. Contanto que exista amor e lembrança, não existirá perda de fato." - James Carstairs

  Ei, ouviram falar que vai lançar a série de Os Instrumentos Mortais? To aqui segurando meu forninho! Tomara que eles consigam consertar a merda que fizeram com Cidade dos Ossos.

Nota: 5/5 (favorito ♥) - Nº de Páginas: 532 - ISBN: 9788501092731



Nenhum comentário:

Postar um comentário


COPYRIGHT © 2016 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
DESIGN E DESENVOLVIMENTO POR Escolhas Criativas